18 Anos
Mais de 400 Clientes

Variedade > Economia

Fonte: Sputnik Brasil | Imagem: © AFP 2018 / NICOLAS ASFOURI | Link Notícia

30/11/2018

China cresce e ameaça domínio dos EUA na América Latina, segundo mídia

Perante o interesse americano, China se aproxima da América Latina e deve fechar acordo nuclear com a Argentina.

Informações compartilhadas Sputnik Brasil

O acordo entre a Argentina e a China para a construção de uma usina nuclear deverá ser anunciado durante a visita do líder chinês na sequência da cúpula do G20 em Buenos Aires.

O presidente executivo da Agência Nacional de Investimento argentina, Juan Pablo Tripodi, declarou à Reuters que a usina nuclear Atucha III será a quarta usina do país. O potencial acordo para o projeto será aproximadamente no valor de US$ 8 bilhões (R$ 31 bilhões).

O potencial acordo e as ações da China na região estão incomodando os EUA, que acreditam que a região é um domínio seu. O fortalecimento no relacionamento econômico, diplomático e cultural com a Argentina também deverá ser tema do encontro entre o líder chinês, Xi Jinping, e o líder norte-americano, Donald Trump.

O crescimento das relações entre o país asiático e o país sul-americano vem preocupando os EUA, principalmente com a presença do gigante asiático na América Latina se tornando em um forte parceiro comercial, investidor e financiador, injetando grandes investimentos na região.

Perante essa situação, a administração de Trump confirmou que os EUA estão preocupados com o potencial acordo dos argentinos com os chineses.

Por outro lado, o ministro das Relações Exteriores da China afirmou que todas as medidas realizadas pelo país estão de acordo com as regras do mercado internacional.

Aparentemente, a situação estaria incomodando apenas os EUA, já que os responsáveis oficiais do governo argentino acreditam que a relação com o país asiático é de fundamental importância para o desenvolvimento econômico e social da Argentina.

Vale ressaltar que a tensão existente entre os EUA e a China não é novidade, os dois países estão travando uma guerra comercial que começou após, em julho passado, ambos os países terem aumentado as tarifas alfandegárias. Primeiro, os EUA introduziram uma taxa de 25% sobre as importações de 818 produtos chineses. Como contramedida, a China introduziu tarifas idênticas contra os EUA.

Mike Pence, vice-presidente dos EUA, declarou recentemente que, se a China não mudar sua postura, ela enfrentará uma guerra fria com os EUA e seus aliados, demonstrando que os americanos não aceitarão perder o domínio do mercado latino-americano para o país asiático.



Notícias Relacionadas
Com hat-trick de Messi, Barcelona goleia Levante e segue isolado na liderança

Esporte

Com hat-trick de Messi, Barcelona goleia Levante e segue isolado na liderança

Brasil fecha Mundial de Piscina Curta com três bronzes no último dia de competições

Esporte

Brasil fecha Mundial de Piscina Curta com três bronzes no último dia de competições

River faz mistério com treino fechado a 2 dias de enfrentar o Al Ain pelo Mundial

Esporte

River faz mistério com treino fechado a 2 dias de enfrentar o Al Ain pelo Mundial

Explosão dá início a erupção do vulcão mexicano Popocatépetl (VÍDEO, FOTOS)

Mundo

Explosão dá início a erupção do vulcão mexicano Popocatépetl (VÍDEO, FOTOS)