19 Anos
Mais de 400 Clientes

Variedade > Politica

Fonte: Sputnik Brasil | Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil | Link Notícia

09/01/2019

Com salário de R$36 mil, filho de Mourão é contratado como assessor especial do BB

Informações compartilhadas Sputnik Brasil

Filho do vice-presidente Hamilton Mourão, Antonio Rossell Mourão foi anunciado hoje como assessor especial da presidêdncia do Banco do Brasil. O salário: R$36,3 mil mensais, três vezes o que ganhava no banco antes das eleições.

Antonio trabalha no Banco do Brasil há 18 anos, 11 deles atuando na área de agronegócios com um salário de R$12 mil. A nova função dentro do BB não altera as suas atribuições diárias, mas ele passa a aconselhar diretamente o novo presidente do banco, Rubem Novaes.

Embora não tenha comparecido à posse de outros novos presidentes de bancos públicos, o vice-presidente participou da cerimônia de Rubem Novaes.

Por meio de nota, o BB confirmou a mudança de posto de Antonio Mourão, mas não comentou o aumento de vencimentos. De acordo com a Folha de S. Paulo, o estatuto da presidência permite a contratação de três assessores especiais, usualmente vindos das áreas de finanças, comunicação e a agronegócios.

Ao Estadão, o vice-presidente justificou a promoção dizendo que o filho foi promovido "por mérito". O general disse ainda que Antonio foi "duramente perseguido anteriormente" por ser seu filho. 

 



Notícias Relacionadas
Jogo no Mineirão registra melhor público da Copa América se excluídas partidas da Seleção Brasileira

Esporte

Jogo no Mineirão registra melhor público da Copa América se excluídas partidas da Seleção Brasileira

Brasil exibe faces distintas ao penar contra rivais que arrasou nas Eliminatórias

Esporte

Brasil exibe faces distintas ao penar contra rivais que arrasou nas Eliminatórias

Candidatos em lista de espera do Sisu começam a ser convocados

Educacao

Candidatos em lista de espera do Sisu começam a ser convocados

Secretaria de Governo vai concentrar articulação política no Congresso

Politica

Secretaria de Governo vai concentrar articulação política no Congresso