19 Anos
Mais de 400 Clientes

Variedade > Mundo

Fonte: Sputnik Brasil | Imagem: © REUTERS / Garrett LaBarge/U.S. Navy | Link Notícia

06/06/2019

Mídia desvenda verdadeiras razões por trás do envio de grupo naval dos EUA para perto do Irã

As tensões entre o Irã e os EUA têm estado ao rubro desde que Washington se retirou unilateralmente do acordo nuclear de 2015 (conhecido como JCPOA).

Informações Compartilhadas Sputnik Brasil

Em 8 de maio de 2018, os Estados Unidos deveriam levantar as sanções contra Teerã em troca de o Irã manter o propósito pacífico do seu programa nuclear. Mas não o fizeram, pelo contrário, a administração Trump tem aumentado a pressão sobre Teerã, impondo sanções ainda mais duras.

Várias fontes oficiais não identificadas disseram à CNN que o Pentágono decidiu enviar um grupo de ataque liderado por um porta-aviões, bem como mísseis Patriot e bombardeiros B-52, para o Oriente Médio no mês passado, após alegadamente se ter verificado que as autoridades iranianas não estavam levando a sério os avisos dos EUA.

"Parece que as tensões diminuíram um pouco, mas estamos a observar bem de perto, não estamos relaxados, permanecemos vigilantes", informou o oficial do Pentágono, citado pela emissora CNN.

Pessoas com acesso a informação classificada afirmaram que, apesar das primeiras mensagens de advertência terem sido enviadas ao Irão através de terceiros a 3 de maio, o Pentágono recebeu algumas informações de que Teerão não ficou incomodado.

Alguns dias mais tarde os EUA anunciaram publicamente que estavam enviando forças militares para o Golfo.

A CNN citou também o general Joseph Dunford, chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, ao dirigir-se ao público no centro de pesquisa Brooklings após uma suposta ameaça de ataque no dia 3 de maio. "Também tivemos informações de que talvez houvesse dúvidas quanto à vontade e capacidade dos EUA de responderem", disse o general.

"No último fim de semana de abril, eu comecei a ver com mais clareza as coisas que tinha vindo a apanhar ao longo de um período de meses" teria afirmado Dunford, acrescentando que ele se lembra que, no dia 3 de maio, "múltiplas ameaças talvez se estivessem a juntar ao mesmo tempo".

O assessor de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou, em 5 de maio, o envio de uma força militar estadunidense para a região, afirmando também que seu país avançou nessa ação em resposta a "uma série de indicadores e alertas preocupantes e crescentes" por parte do Irã.

Nesse dia foi divulgado por várias fontes de informação que Donald Trump autorizou o Departamento de Defesa dos EUA a enviar mais 1.500 militares para o Oriente Médio com o objetivo de conter as referidas ameaças.



Notícias Relacionadas
IGP-M acumula taxa de inflação de 3,08% em 12 meses, diz FGV

Economia

IGP-M acumula taxa de inflação de 3,08% em 12 meses, diz FGV

ANP se diz atenta quanto a abusos em preços de combustíveis no Brasil

Economia

ANP se diz atenta quanto a abusos em preços de combustíveis no Brasil

Feirão de empregos atrai milhares de pessoas na capital paulista

Economia

Feirão de empregos atrai milhares de pessoas na capital paulista

Brasil disputa Copa América de basquete feminino após ouro no Pan

Esporte

Brasil disputa Copa América de basquete feminino após ouro no Pan